UM TRABALHO SEM FIM…

15 de Novembro de 2021
Segunda-Feira

Resumo do livro ‘UMA CARTA ABERTA AO PRINCIPE CARLOS’ OU

‘A ÚNICA MANEIRA PARA DEIXAR DE FUMAR’ do Allen Carr

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Capítulo 2: UM TRABALHO SEM FIM…

Baseado nos planos de crescimento e nas fórmulas matemáticas que apliquei, julguei que ia libertar o mundo do fumo em cerca de 10 anos.

Na realidade, após 3 anos de clínica, atendíamos 2000 fumadores por ano e os livros e outras formas de apresentação do método tiveram um êxito extraordinário. Quando comecei a gravar o vídeo sobre o Método Easyway, havia 20 fumadores que faziam parte da equipa da produção… e todos pararam de fumar antes de acabar o trabalho!! Sir Anthony Hopkins ofereceu-se gratuitamente para promover o livro e os meios audiovisuais e as cartas de agradecimento encheram cada vez mais a nossa caixa de correio. Era óbvio que a bola de neve Easyway estava a rolar e a crescer e que em breve iria acontecer a avalanche!

Nunca tive dúvidas quanto ao êxito do método, mas houve duas coisas que aconteceram e que abalaram a minha confiança:

No livro tinha que descrever a privação física da nicotina… algo que eu não senti, mas que foi vivido por muitos fumadores como algo terrível!! Testei esta experiência voltando a fumar e a minha conclusão até reforçou a minha convicção no Método Easyway… que 99% do problema de fumar é mental!
A recaída das pessoas que eu pensava que nunca iriam voltar a fumar… aquelas pessoas que me suplicaram ajuda, muito felizes por se verem livres do vício e que depois de alguns meses/anos voltaram à minha sala de Easyway. Considero qualquer outro método para deixar de fumar, um método baseado na força de vontade. Mas até Easyway se torna um método de força de vontade se as pessoas não seguem as minhas instruções. No método Easyway é essencial que os participantes sigam TODAS as instruções.

Há ainda um objetivo adicional, que seria mais valioso que todos os outros juntos: chamar a atenção e explicar a importância do meu trabalho às entidades reguladoras.

Cheguei a pensar estar sozinho neste esforço. Mas com o tempo aprendi que havia muitas pessoas com esta frustração… há uma barreira invisível para chegar às pessoas responsáveis sobre este assunto. Parece impossível que algo tão obviamente nocivo, para elas pareça não ter qualquer valor... noutro capítulo irei aprofundar mais este assunto.